Notícia

Comer frutose tem muitas consequências negativas para a saúde

Comer frutose tem muitas consequências negativas para a saúde



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Que tipo de açúcar é o mais prejudicial à saúde?
Consumir muito açúcar não é bom para a saúde. Agora, os pesquisadores descobriram que não apenas a quantidade, mas também o tipo de açúcar consumido, pode ter sérios efeitos à saúde. A frutose parece ser particularmente prejudicial.

Os cientistas da Universidade de Barcelona descobriram que comer frutose é particularmente prejudicial ao metabolismo e ao sistema vascular em comparação ao consumo de glicose. Os médicos publicaram os resultados de seu estudo na revista "American Journal of Physiology-Heart and Circulatory Fisiology".

A frutose prejudica o metabolismo e o sistema vascular
O presente estudo examinou os perigos que a glucoe e a frutose podem representar para a saúde humana. Os resultados mostram que comer frutose tem um efeito mais prejudicial no metabolismo e no sistema vascular, explicam os especialistas. Frutose é um tipo de açúcar que também é conhecido como frutose. Na natureza, a frutose ocorre principalmente em frutas como maçãs, peras e bagas.

A frutose possui uma alta quantidade de adoçantes e baixos custos de produção
A frutose é um açúcar simples (monossacarídeo) comumente encontrado em frutas. Este tipo de açúcar é um dos adoçantes mais comuns na indústria de alimentos. Tem uma quantidade alta de adoçante e baixos custos de produção, em comparação com o açúcar da sacarose ou do xarope de milho com frutose, explicam os pesquisadores em um comunicado à imprensa.

Médicos testam os efeitos do açúcar na saúde em modelos animais
No estudo atual, os cientistas descobriram que ratos fêmeas são mais sensíveis às mudanças metabólicas do que ratos machos. Além de sua dieta normal, os ratos de teste também receberam complementação de glicose ou líquido de frutose. Dependendo do tipo de açúcar consumido (glicose ou frutose), os animais experimentais mostraram diferenças no peso corporal, triglicerídeos e fisiologia vascular, explicam os especialistas.

O que a frutose fez no experimento?
Um dos efeitos metabólicos notáveis ​​é a alta concentração de triglicerídeos no plasma do grupo de ratos que receberam frutose, dizem os autores. Esse efeito não pode ser explicado apenas com uma grande síntese de lipídios hepáticos, pois a glicose e a frutose induzem a lipogênese hepática, explicam os cientistas. O conteúdo proteico de uma enzima chave na oxidação de ácidos graxos (CPT1A) diminuiu apenas nos ratos que receberam frutose.

Este grupo também mostrou um aumento na expressão de uma proteína chamada MTP, que ajuda a transportar triglicerídeos do fígado para o plasma. Os efeitos observados sugerem que a frutose é capaz de reduzir a oxidação de ácidos graxos e aumentar o movimento de triglicerídeos do fígado para o plasma de uma certa maneira, explicam os pesquisadores. Uma chamada hipertrigliceridemia provavelmente causa esses efeitos.

Frutose leva a alterações vasculares e hepáticas
Quando os ratos recebem glicose, a capacidade da aorta de relaxar quando exposta a um ingrediente ativo que contém óxido nítrico (nitroprussiato de sódio) aumenta, dizem os autores. Esta capacidade da aorta foi menor nos ratos do grupo da frutose. Do ponto de vista vascular, isso mostra que a frutose tem um efeito negativo no relaxamento da aorta. A glicose tem um efeito mais benéfico aqui, acrescentam os cientistas. Os ratos que receberam frutose também mostraram alterações no fígado e ganharam peso mais rapidamente. Estudos anteriores haviam demonstrado que tomar frutose em ratos estava associado a alterações hepáticas.

A frutose pode levar ao chamado fígado gordo em ratos machos e fêmeas. Além das alterações vasculares e hepáticas observadas, há um aumento maior do peso corporal nesses ratos, apesar de consumirem menos calorias do que os ratos do outro grupo.

A inflamação pode ser desencadeada por um aumento da ingestão de frutose
O fato de a frutose reduzir a oxidação dos ácidos graxos e aumentar a síntese de lipídios hepáticos pode levar a um aumento do que é conhecido como deposição lipídica no órgão (fígado gorduroso), dizem os especialistas. Esse acúmulo de lipídios no fígado, por sua vez, pode levar à inflamação do fígado.

A frutose pode ter um enorme impacto no corpo
À primeira vista, o ganho de peso corporal que parece estar ligado apenas ao aumento da ingestão de calorias, mas outros fatores também estão envolvidos, explicam os autores. Em particular, o ganho de peso no fígado, encontrado no grupo da frutose dos ratos, pode estar relacionado ao acúmulo de lipídios nesse órgão e ter um impacto maciço no corpo, segundo os pesquisadores. (Como)

Informação do autor e fonte


Vídeo: CarbLoaded: A Culture Dying to Eat International Subtitles (Agosto 2022).